INCLUSÃO ECONÔMICA – Iniciativa do IFRR capacita mulheres venezuelanas para atuação na área de alimentos em Roraima

por Sheneville Cunha de Araújo publicado 13/06/2022 09h50, última modificação 13/08/2022 09h16
A capacitação está sendo promovida pelo CAM, que, desde 2021, já formou mais de 200 pessoas na área de manipulação de alimentos e boas práticas de fabricação
INCLUSÃO ECONÔMICA – Iniciativa do IFRR capacita mulheres venezuelanas para atuação na área de alimentos em Roraima

O curso de Processamento de Doces e Geleias está capacitando mulheres venezuelanas no Município de Amajari, as quais estarão aptas para atuar nas áreas de turismo e gastronomia local

Visando capacitar mulheres venezuelanas com noções básicas e técnicas para manipulação de alimentos, oferecendo contato com utensílios e equipamentos, informações sobre higiene e segurança, além de controle de qualidade, o curso FIC de Processamento de Doces e Geleias foi iniciado na Vila Brasil, Município de Amajari. Ele é promovido pelo Campus Amajari em parceria com a Igreja Católica de Santa Luzia, que está cedendo o espaço para as aulas e auxiliando na mobilização do público-alvo.

Ao todo, até o momento, 18 mulheres venezuelanas estão passando por essa capacitação, que, segundo a coordenadora do curso, professora Danielle Cunha, está sendo realizada com o objetivo de contribuir para a promoção da inclusão econômica e social dessas pessoas em Roraima.

Ela explicou que o curso, gratuito, que vai até o dia 26 de outubro,  está sendo realizado de forma presencial (aulas teóricas na igreja e práticas no campus), em português e espanhol (com apoio de tradutor), e que ainda está com o cadastro aberto até o fim deste mês. Entre as pessoas participantes, também há alguns homens brasileiros, sendo aceitas todas as pessoas que tiverem interesse.


Vale destacar que os estudantes bolsistas e voluntários do projeto também são venezuelanos, contribuindo, assim, com a construção do conhecimento junto ao público-alvo e atuando em uma causa importante, que é a inclusão econômica e social dos venezuelanos, proporcionando condições para sua inserção no mercado de trabalho”, observou Danielle, complementando que a capacitação conta com o apoio financeiro aos estudantes bolsistas voluntários por meio do Pbaex 2022. 

Além dessa ação, o CAM já promoveu outras capacitações voltadas também para inclusão econômica por meio da manipulação de alimentos de forma segura e com qualidade. 

Desde 2021, o campus já formou mais de 200 pessoas na área de manipulação de alimentos, por meio dos cursos Formação de Merendeiras e Boas Práticas de Fabricação em Serviços de Alimentação e em Meios de Hospedagem, sob a condução da professora Danielle Cunha.

Para ela, ações como essas são necessárias para a comunidade em geral, pois auxiliam na redução do desemprego e, consequentemente, melhoram a renda da população. 

Além disso, a professora enfatiza a importância de promover capacitações voltadas para a devida manipulação de alimentos. “A alimentação fora de casa, seja ela em ambiente escolar ou em serviços de alimentação e em meios de hospedagem, é muito representativa para quem busca pelo alimento e para quem oferece. E a forma de preparo das refeições e lanches produzidos pode garantir ou não um alimento seguro. Com isso, temos certeza de que estamos contribuindo para essa segurança e ainda para alavancar o setor de alimentação e turismo na região”, explicou Danielle.

A merendeira Rosilene da Silva Santana foi capacitada no CAM, por meio dos FICs, em 2021. Ela avaliou a ação do IFRR como necessária e oportuna. “Já atuo na área e é de grande valor a contribuição do curso visando ao período que estamos passando”, declarou.

Já Franciene Laurentino da Silva, que participou do curso de Formação de Merendeiras e estava em busca de emprego, disse acreditar que, a partir dessa capacitação, terá mais possibilidades de preencher uma vaga de trabalho.

“Foi muito gratificante participar do curso, pois vai abrir novas oportunidades. Acredito, inclusive, que vou poder conseguir o meu primeiro emprego após ter feito essa capacitação”, comentou a cursista.

A participante do curso de Boas Práticas de Fabricação em Serviços de Alimentação e em Meios de Hospedagem Alcimara Cadete de Lima destacou a oportunidade que teve de fazer o curso oferecido em formato de Educação a Distância e como essa ação teve o potencial de auxiliar tantas pessoas.

“Vejo que o IFRR tem realmente interesse em contribuir para a sociedade local fornecendo a oportunidade para os cidadãos aprimorarem seus conhecimentos e receberem novos conhecimentos, que servirão para uma boa oportunidade de emprego”, declarou  Alcimara.


CGP