Egressa do IFRR/Amajari é aprovada em mestrado profissional em rede nacional

por Rebeca publicado 25/03/2021 10h20, última modificação 25/03/2021 10h50
Nalim Lourenço foi aprovada em primeiro lugar no ProfÁgua para o mestrado em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos

A egressa do curso Técnico em Agricultura (2015) e da primeira turma do curso superior de Tecnologia em Aquicultura (2019) do Campus Amajari Nalim Lourenço, 25, deu mais um passo importante na vida acadêmica. Ela acaba de ser aprovada em primeiro lugar (polo local) para o mestrado profissional em rede nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos, do Programa de Pós-Graduação ProfÁgua.

O programa é ofertado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em parceria com universidades associadas pelo País, como a Universidade Federal de Roraima. Filha de Norma Lourenço da Silva, da etnia wapichana, Nalim nasceu na Capital, Boa Vista, e morou, até os 4 anos, na Comunidade Indígena Araçá, até mudar-se para a sede do Amajari, chamada de Vila Brasil. Ela é a primeira de sete irmãos a concluir um curso superior e a primeira a ingressar numa pós-graduação.

Mãe de três meninas (6, 5 e 2 anos), Nalim afirma que a aprovação na pós-graduação é algo buscado desde o ensino básico, quando alimentava o desejo de fazer graduação, mestrado e doutorado. Para ela, essa conquista representa o início da realização de um sonho, incentivado pelo pai, Eugênio Rodrigues Gomes (in memoriam), que sempre aconselhou os filhos a buscar na educação um futuro melhor.
Além disso, ela acredita que, por ser a primeira da família a traçar essa caminhada acadêmica, possa incentivar os irmãos, bem como os jovens em geral, a seguir acreditando que a educação pode mudar suas vidas. “Não é uma conquista para me vangloriar, mas para ser mais um motivo para que meus irmãos, primos e jovens possam trilhar esse mesmo caminho, que é focar nos estudos para melhorar a vida pessoal e profissional”, disse a egressa.

Nalim dedicou a aprovação ao pai, Eugênio, vítima de Covid-19 em julho de 2020. Durante a internação dele no maior hospital público de Roraima, uma das últimas conversas entre os dois foi sobre educação. A preocupação do genitor era que a filha desse continuação aos estudos. Sempre focada, ela prometeu continuar os estudos e incentivar os irmãos a seguir o mesmo caminho.
“Meu pai sempre motivou a gente [filhos] a estudar e falava que quem estuda garante um futuro melhor. No hospital, quando ele se mostrou preocupado sobre essa questão de estudos e trabalho, eu respondi para ele não se preocupar, porque, quando passasse a pandemia, eu iria iniciar o mestrado ou outro curso superior, ou iria fazer cursinho para concurso. Então, tenho certeza de que está orgulhoso dessa conquista”, afirmou a futura mestranda.

Os sonhos de Nalim não param no mestrado. Após concluí-lo, pretende ingressar no doutorado e no pós-doutorado, na intenção de sempre melhorar a vida profissional. Para os estudantes, a egressa fez questão de deixar uma frase de motivação. “O lema é estudar. Estamos passando por uma época difícil, que é a pandemia, mas que possamos aproveitar este tempo para estudar. Nesta fase estão ocorrendo muitos congressos on-line, seminários, mesas-redondas. Então, é uma oportunidade de continuar estudando para poder se destacar no mercado de trabalho”, comentou.

Nalim também agradeceu o apoio de familiares e amigos, pois lembra que, além das exigências de fazer um curso superior, tinha o ofício de ser mãe. “Tinha responsabilidade de cuidar da casa e da criação das minhas filhas, mas isso nunca foi dificuldade, mas sim mais um motivo para que pudesse concluir o curso para poder garantir um futuro melhor para mim e para elas. A todos que ajudaram nesse processo o meu muito obrigada”, disse.

De acordo com o diretor de Ensino do IFRR/CAM, Daniel Dias, Nalim foi a primeira egressa do curso superior da unidade a ser aprovada em curso de nível stricto sensu. “Denota a importância que o Campus Amajari teve na vida da estudante, desde o ensino técnico integrado ao ensino médio até a verticalização para o curso superior. Como foi uma aluna que participou de projetos, as atividades que foram propostas na academia no que diz respeito à pesquisa e à extensão foram fundamentais para buscasse melhorar seu nível de conhecimento. Estamos muito orgulhosos dessa conquista dela”, declarou.


Ascom/Reitoria
Rebeca Lopes
Fotos: Edriane Lourenço/Divulgação
25/3/2021

CGP