Oficina para professores aborda iniciação a Libras

por Rebeca publicado 24/09/2019 10h05, última modificação 24/09/2019 10h05
O evento visa prover os docentes do conhecimento básico de Libras para preparar a unidade como escola inclusiva

Como programação alusiva ao Dia Nacional do Surdo, celebrado em 26 de setembro, o Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima (CAM/IFRR), por meio do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (Napne), oferta, nesta terça-feira, a partir das 14 horas, uma oficina de Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Ministrada pelos tradutores-intérpretes do CAM, a oficina terá duração de quatro horas e será voltada para os professores da unidade de ensino. O evento visa oferecer aos docentes o conhecimento básico de Libras para promover a comunicação funcional com a comunidade surda no campus, preparando a unidade como uma escola inclusiva.

A oficina pretende ainda disseminar a importância do aprendizado de Libras em uma instituição de ensino, fazer compreender o funcionamento da estrutura gramatical da língua e sua contextualização, e ensinar a usar os sinais para estabelecer a comunicação com possíveis alunos surdos no campus em um momento futuro.

Para o tradutor Arlesson Santos, que ministrará a oficina, o evento também tem a finalidade de divulgar o “Setembro Azul”, mês da visibilidade surda brasileira. “Como não temos alunos surdos no campus, é preciso deixar os professores mais preparados, caso venhamos a receber alunos com essa demanda, e também no que diz a respeito à metodologia e à adaptação de material pedagógico”, afirmou.

Ele explica que a Libras é uma linguagem gestual – visual e natural da pessoa surda. “É importante lembrar a presença dos intérpretes na sala de aula, para fazer a mediação entre o professor e aluno surdo da melhor maneira possível, para a construção de um novo saber e para o desenvolvimento e aprendizado desse estudante”, declarou.

Durante a oficina será apresentado material sobre o tema, feita leitura explicativa, exposição de vídeos, realizados diálogos em Libras, produção de vídeos e tradução de material para exposição referente ao Dia Nacional do Surdo.

 

Bruna Castelo Branco
Ascom/Reitoria
24/9/2019

CGP