DIA DO ÍNDIO – IFRR Amajari garante acesso à educação profissional de comunidades indígenas

por Bruna Dionísio Castelo Branco publicado 18/04/2019 11h10, última modificação 22/04/2019 07h25
O Campus Amajari desenvolve ações em comunidades indígenas de vários municípios que legitimam direitos à educação escolar indígena

Instalado no Município do Amajari, norte de Roraima, no campus do Instituto Federal de Roraima (IFRR), gestores, servidores e alunos comemoram o Dia do Índio com ações voltadas ao atendimento de comunidades indígenas. São cursos técnicos e de formação profissional desenvolvidos em vários municípios, que legitimam o direito à educação escolar indígena e o acesso à educação de qualidade.

De acordo com o diretor-geral do Campus Amajari, George Sterfson Barros, a unidade tem atuado na oferta de cursos técnicos subsequentes ao ensino médio pela modalidade de Educação a Distancia e de cursos de formação continuada de professores indígenas do Amajari, bem como ofertado turma de alternância exclusiva para indígenas da Comunidade do Contão (Pacaraima) e das comunidades adjacentes.

Ele comenta que atualmente tem polos de EAD nas comunidades indígenas Truaru da Cabeceira (Alto Alegre), Raposa e Araçá da Serra (Normandia), e na sede do Uiramutã com a oferta do curso Técnico em Agropecuária subsequente ao ensino médio. Antes, o CAM atendia moradores de sete polos com cursos técnicos subsequentes ao ensino médio de Informática e de Cooperativismo.

CAM está presente na modalidade EaD, no polo Raposa
CAM está presente na modalidade EaD, no polo Raposa

Sobre a turma do Contão, o diretor destaca que o regime de alternância permite que os alunos dividam os estudos em duas etapas: eles passam 15 dias aprendendo teoria e prática na escola, e outros 15 dias na comunidade. Nesta última etapa, chamada de Tempo Comunidade, eles têm de desenvolver atividades nas suas localidades, quer apoiando projetos já existentes, quer implementando novas intervenções.

Sterfson reforça que essa parceria escola-comunidade é de fundamental importância para o processo de ensino-aprendizagem dos alunos. “Em parceria com a escola e os pais dos estudantes, foi implantado um ambiente didático com irrigação para produção de frutas e hortaliças. Tudo que eles aprendem na escola, eles levam para compartilhar na sua comunidade, com suas famílias”, explicou Sterfson.

Turma de alternância da região do Contão
Turma de alternância da região do Contão
 

 A diretora de Ensino do CAM, Pierlangela Cunha, comentou que o campus tem realizado, em parceria com o Centro Regional de Educação Indígena do Amajari Noêmia Peres (Creianp), cursos sobre Cooperação, Cidadania e Educação, Normas e Funcionamento das Escolas, voltados para professores das redes municipal e estadual de ensino. “O município tem 19 comunidades indígenas, então, esses cursos ajudam na busca de legitimar os direitos à educação escolar indígena no Município do Amajari”, disse.

Campus Amajari certifica professores da região
Campus Amajari certifica professores da região

 

DADOS – O Campus Amajari também comemora os números de alunos autodeclarados indígenas. Dos 440 matriculados, quase 60% se autodeclararam, ou seja, 240 estudantes. Eles são dos povos indígenas macuxi, wapixana, sapará, taurepang e, neste ano, houve o ingresso de dois estudantes yecuana, da região de Awaris, localizada na Terra Indígena Yanomami.

Entre as comunidades com maior número de estudantes indígenas estão Contão e Araçá da Serra, com 27 alunos, cada uma; Raposa, 18; Araçá (Amajari), com 17; e Três Corações (Amajari), 15 alunos.  

 
Rebeca Lopes
Ascom/IFRR
Fotos: IFRR/ASCOM
18/4/19

CGP