MÓDULO PRODUTIVO – Campus Amajari do IFRR pode concorrer a projeto do Ministério da Agricultura

por Sofia Lampert publicado 10/12/2019 15h50, última modificação 11/12/2019 14h19
O anúncio foi feito pelo diretor de Desenvolvimento e Ordenamento da Aquicultura, do Mapa, Daniel Pessôa

O diretor do Departamento de Desenvolvimento e Ordenamento da Aquicultura (Depoa), da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura (Mapa), Maurício Nogueira da Cruz Pessôa, palestrou durante o 4º Encontro de Pesca e Aquicultura do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima (CAM/IFRR), na tarde desta segunda-feira, 9. 

A palestra “Estrutura atual da SAP/Mapa, medidas adotadas e planejamentos voltados para aquicultura brasileira” fez parte do evento que comemora os cinco anos de formação profissional voltada à aquicultura ofertada pelo CAM, que oferece o curso técnico e o cruso superior.

Pela primeira vez em Roraima, Pessôa disse que o objetivo da visita foi conhecer a aquicultura na região e o trabalho que está sendo feito pelo CAM, por meio dos dois cursos de Aquicultura. Perguntado sobre o que o governo federal teria de projeto para apoiar o campus, ele anunciou a possibilidade de a unidade participar do projeto “Módulo Produtivo”.

 Conforme o diretor, no planejamento da secretaria há esse projeto, que tem aporte de recursos na ordem de R$ 200 mil, sendo 160 mil reais para infraestrutura de 14 tanques de 15m³, com recirculação de água e energia solar, e mais 40 mil reais para custeio e capacitação no primeiro ano. “Esse projeto a gente desenhou para instituições de ensino públicas que trabalham com a área de aquicultura para montar uma estrutura de capacitação para produtores e também fazer a divulgação da aquicultura. Dentro desse custeio, entra a questão da capacitação”, disse.

Depois de um ano em funcionamento, o diretor diz que o projeto deve andar sozinho. “O Campus Amajari tem as características que a gente está procurando, que são áreas que já estão em desenvolvimento da aquicultura, e é uma instituição de ensino para fazer a capacitação tanto de produtores quanto de alunos”, frisou.

Para participar, há duas possibilidades. A primeira esperar o edital que deve ser lançado no próximo ano para concorrência entre as instituições de ensino. Mas isso depende da aprovação do orçamento da união e que sejam destinados recursos para a Secretaria de Aquicultura e Pesca para esse fim. Outra possibilidade é o projeto do Módulo Produtivo receber emenda parlamentar.

 

 Ascom/Reitoria
Texto e fotos: Rebeca Lopes
9/12/19

CGP