Mais dois alojamentos começam a ser construídos no Campus Amajari

por Rebeca publicado 01/04/2019 17h05, última modificação 02/04/2019 13h29
Orçada em R$ 1.430.469,34 e fruto de emendas parlamentares, a obra vai dobrar o número de vagas em moradia para estudantes carentes.

Dois novos alojamentos com capacidade de 56 vagas, cada um, começaram a ser construídos no Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima (CAM-IFRR). Orçada em R$ 1.430.469,34 e fruto de emendas parlamentares, a obra vai dobrar o número de vagas em moradia para estudantes carentes.

Em visita ao canteiro de obras, na última sexta-feira, 29, estiveram a reitora do IFRR, Sandra Mara Dias Botelho, o diretor-geral do CAM, George Sterfson Barros, o senador Telmário Mota e a ex-senadora Ângela Portela, responsáveis pelas emendas, além de diretores, pró-reitores e alunos.

A empresa Progecon Empreendimentos é a responsável pela construção dos dois alojamentos. Entre empregos diretos e indiretos, a obra, que tem duração prevista de nove meses, deve gerar 60 novas oportunidades de trabalho para pais de família da região.

Para a reitora, a obra tem importância institucional e social enorme, visto que vai possibilitar que estudantes moradores de comunidades distantes e sem condições de se manter estudando tenham acesso ao ensino técnico profissionalizante e de qualidade.

Sandra Mara agradeceu a contribuição dos parlamentares. “Também quero registrar que, antes de terminar o mandato, a senadora Ângela Portela destinou R$ 2 milhões para o IFRR realizar investimentos. Muito obrigada aos dois senadores, que têm esse olhar pela educação, por essa contribuição para a formação dos nossos jovens”, disse.

Para o senador Telmário Mota, não há como desenvolver um município, estado ou país sem investir em educação. Ele destacou a qualidade do ensino oferecido no município pelo IFRR, que dá aos jovens da região oportunidade de acesso a ensino de alta qualidade quando muitos deles, por falta de recursos, não teriam como se manter na Capital estudando.

 “E aí o instituto vem para próximo dessas famílias, das residências, dos lotes, das fazendas. Coloquei emenda de R$ 1 milhão, e fiz isso com muito orgulho, porque nasci numa comunidade indígena, a do Gavião, em Normandia, e, para estudar, pegava o cavalo e ia para o Contão (comunidade indígena de Pacaraima) na segunda e voltava na sexta. Era uma enorme dificuldade. A luz era de lamparina, e a sala debaixo de uma mangueira. E vocês podem ver o tanto que evoluiu. Muitas pessoas não alcançam sucesso na vida por falta de educação. E o instituto melhora a qualidade de vida de toda uma região, pois aqui temos pessoas de Normandia, Pacaraima, Uiramutã. Então, é uma instituição da maior importância para a formação dos nossos jovens”, disse.

Com doze anos de Congresso Nacional, a ex-senadora Ângela Portela declarou que a educação é fundamental para o desenvolvimento econômico e social do País e que, como parlamentar, sempre foi uma parceira dos institutos e das universidades federais por entender que a educação é que transforma a vida das pessoas.

Conforme ela, ao visitar o Campus Amajari, pôde verificar as grandes mudanças que ocorreram no Amajari, em Pacaraima e em toda a região. “Aqui temos uma quantidade grande de jovens indígenas que têm educação técnica, profissionalizante e curso superior de qualidade. Eu me sinto orgulhosa e feliz por ter participado desse processo de enriquecimento e aprimoramento do município. O Amajari dobrou o PIB”, afirmou.

 

 

Rebeca Lopes
Fotos: Erick Vieira
Ascom/Reitoria
1/4/19

CGP