Estudantes do CAM são recepcionados com palestra e orientações

por Rebeca publicado 07/02/2019 17h07, última modificação 07/02/2019 17h07
Durante dois dias, estudantes veteranos e novatos do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima participam da acolhida promovida pela Coordenação de Assistência ao Estudante (Caes). O acolhimento ocorre nesta quinta e sexta-feira, 7 e 8. Ao todo, são 389 alunos dos cursos presenciais iniciando o semestre 2019.1.

Durante dois dias, estudantes veteranos e novatos do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima participam da acolhida promovida pela Coordenação de Assistência ao Estudante (Caes). O acolhimento ocorre nesta quinta e sexta-feira, 7 e 8. Ao todo, são 389 alunos dos cursos presenciais iniciando o semestre 2019.1. 

O evento de abertura foi realizado na área de convivência da unidade de ensino, às 9 horas, e contou com participação do diretor-geral, George Sterfson Barros, de convidados, alunos dos cursos técnicos de Agropecuária e Aquicultura, do superior de Aquicultura, de pais e responsáveis, servidores, diretores e coordenadores de cursos.

Dentro da programação, a equipe técnica da Caes prestou esclarecimentos sobre o setor e tirou dúvidas a respeito dos auxílios estudantis disponíveis e dos tipos de atendimento oferecidos aos alunos da unidade. Quem se encaixa nos critérios de baixa renda, por exemplo, pode receber auxílio-alimentação, auxílio-transporte e auxílio-alojamento.

Outra conversa importante no retorno às aulas foi com o presidente do Sindicato de Técnicos Agrícolas de Roraima (Sintag-RR), Claudionei Simon. Ele conversou com os estudantes sobre a importância da carreira técnica e as possibilidades de empregos na área.

E, para motivar a turminha que está chegando, e até mesmo os veteranos, o egresso do curso Técnico em Agropecuária Wagner Araújo Rufino prestou depoimento sobre sua trajetória acadêmica no CAM, dificuldades, desafios e superações como estudante. Hoje ele é acadêmico de Agronomia na Universidade Federal de Roraima e trabalha como técnico agrícola numa empresa de consultoria e extensão rural na Capital, Boa Vista.

As coordenações dos cursos técnicos em Aquicultura (médio e superior) apresentaram a importância da aquicultura para a região, que se desponta na produção de peixe no estado.

 

 

Textos: Rebeca Lopes

Fotos: Ramon Queiroz (CAM)

Ascom/Reitoria

7/2/19

CGP