Empreendedores de Roraima falam sobre êxito nas áreas de piscicultura e turismo

por Rebeca publicado 29/11/2017 15h25, última modificação 30/11/2017 07h40
registrado em:
Participaram como debatedores os empresários do ramo da piscicultura Rodolfo Pereira e Aniceto Wanderlei, o produtor indígena e ex-aluno do CAM Aderaldo Rodrigues, da Comunidade do Guariba, e o proprietário da empresa Makunaima Expedições e ex-aluno do Campus Boa Vista (CBV) Hélio Zanona

O último dia do VI Fórum de Integração do Instituto Federal de Roraima (Forint-IFRR), sediado pelo Campus Amajari (CAM), iniciou-se com a mesa-redonda que debateu experiências exitosas dentro da temática do evento: “Empreendedorismo e desenvolvimento regional sustentável”.

Quem mediou os trabalhos foi o professor do Campus Novo Paraíso (CNP) Daniel Oliveira. Participaram como debatedores os empresários do ramo da piscicultura Rodolfo Pereira e Aniceto Wanderley, o produtor indígena e ex-aluno do CAM Aderaldo Rodrigues, da Comunidade do Guariba, e o proprietário da empresa Makunaima Expedições e ex-aluno do Campus Boa Vista (CBV) Hélio Zanona.  

Eles dividiram um pouco da sua experiência e dos desafios enfrentados no ramo em que atuam, e falaram sobre a importância do conhecimento para o sucesso de qualquer negócio. Tanto Wanderley como Pereira, cujos empreendimentos são referência em Roraima, destacaram o potencial do estado, em especial do Município do Amajari, para a piscicultura, e enfatizaram a relevância do Campus Amajari (CAM) para o desenvolvimento local por meio da formação de profissionais em cursos como o Técnico em Aquicultura e o de Tecnologia em Aquicultura.

Prova disso é a atuação do ex-aluno da unidade Aderaldo Rodrigues como líder da Associação de Agricultura e Piscicultura da Comunidade Indígena do Guariba, que foi contemplada, há cerca de dois anos, com a implantação de um polo produtivo para a criação do tambaqui – fruto de um projeto pioneiro do governo federal. Em sua exposição, Rodrigues contou como a iniciativa tem dado certo e garantido a segurança alimentar local.

Para a estudante do curso de Tecnologia em Aquicultura do CAM Catriane Dutra, as histórias foram motivadoras, em especial porque mostraram alternativas para o crescimento dos pequenos produtores do Amajari. “Sei das dificuldades de muitos com transporte para o pescado e a falta de recursos. Por isso, descobrir possibilidades de parcerias que os ajudem me deixou feliz”, disse.

A mesa-redonda finalizou com a apresentação do case do evento Tepequém Uphill, que teve como um dos idealizadores Hélio Zanona. O intuito foi mostrar como o desenvolvimento turístico em Roraima é possível por meio do esporte. Para isso, o empresário dividiu com a plateia dados dos impactos dessa corrida de rua, que foi a primeira no norte do Brasil com a característica da elevação acumulada em mais de 500 metros. “Trouxe esse exemplo porque nós temos potencial nessa área. Acredito que, se uma corrida for realizada nesses moldes em uma comunidade indígena, por exemplo, o apelo será, inclusive, internacional”, pontuou.

As atividades do VI Forint seguiram com a palestra “A relação das ações afirmativas e o desenvolvimento regional”, ministrada pelo professor André Luiz Figueiredo Lázaro, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. À tarde, a partir das 13h30, os participantes encerram as atividades no fórum com uma visita aos ambientes práticos do CAM.

Confira outras informações sobre o evento no endereço http://www.ifrr.edu.br/forint/vi-forum-de-integracao.

 

Laura Veras
Fotos: Nenzinho Soares
Comunicação/VI Forint
29/11/2017

CGP