Campus Amajari encerra ano letivo com formatura nesta sexta-feira, 15

por Rebeca publicado 18/12/2017 17h21, última modificação 18/12/2017 17h21
O ano letivo de 2017 do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima fecha em grande estilo nesta sexta-feira, dia 15, com a colocação de quase 40 novos técnicos em agropecuária no mercado de trabalho. A solenidade de formatura ocorre a partir das 19 horas, no espaço de convivência da unidade, para as turmas 114/ 116, 119, 120 e 121.

O ano letivo de 2017 do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima fecha em grande estilo nesta sexta-feira, dia 15, com a colocação de quase 40 novos técnicos em agropecuária no mercado de trabalho. A solenidade de formatura ocorre a partir das 19 horas, no espaço de convivência da unidade, para as turmas 114/ 116, 119, 120 e 121.

Devem participar o diretor-geral do CAM, George Sterfson Barros, a reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho, pró-reitores, diretores, servidores e familiares dos formandos. Neste ano, essa é a quarta formatura realizada pelo CAM, que totaliza mais de 100 novos profissionais formados pela unidade de ensino, que, neste mês de dezembro, completou oito anos de funcionamento, sendo cinco no prédio próprio.

Um dos formandos é o aluno Paulo Sérgio Rodrigues dos Santos Filho, 19, da turma 114/116, que, mesmo antes de ingressar no CAM, em 2014, morava no Tepequém e já planejava estudar no IFRR. “Minha avó, que mora no Bom Jesus (Projeto de Assentamento), já falava sobre o instituto, que queria que a gente (netos) estudasse aqui, devido à qualidade do ensino. Em dezembro de 2013, eu e meu pai viemos fazer a inscrição”, disse.

Alojado desde seu ingresso na unidade de ensino, ele comentou que essa experiência serviu para, entre outras coisas, lidar e aceitar as diferenças, se tornar mais independente. “O IF abriu minha mente, aprendi a ser mais independente e ter o pensamento de que um dia é preciso criar asas e voar. Aqui foi um estágio para essa fase por que, em breve, vou passar”, comentou, referindo-se a correr atrás do sonho de ser advogado. “Ano que vem vou para o quartel e, nesse período, vou tentar fazer faculdade”, concluiu. 

Depois de ela e a irmã gêmea desistirem, no fim do primeiro módulo, de estudar no Campus Amajari, em 2014, quem comemora a colocação de grau, nesta sexta-feira, é Valcimara Salomão dos Santos, 19, da Comunidade Indígena do Pium, Município de Alto Alegre.

Um problema de saúde com a mãe, em 2014, adiou a formatura de Valcimara, mas não lhe tirou a vontade de recomeçar. Em 2015, ela resolveu se submeter ao seletivo do campus. Quando desistiu, ouviu de alguém: “Não aguentou a pressão do IF”. “Daí, eu pensei que essa pessoa estava duvidando da minha capacidade, e, mesmo sabendo das dificuldades, de ficar longe da minha família, alojada, eu tinha certeza de que conseguiria. E consegui”, explicou.

Sobre os planos, Valcimara aguarda os resultados de vestibulares para o curso de Direito das Universidades Estadual e Federal de Roraima, que devem sair no próximo ano. Enquanto isso, planeja morar na Capital e conseguir um emprego para se manter até realizar seu sonho.

 

Rebeca Lopes

CCS/Campus Amajari

15/12/17

CGP