Estudantes dos polos da EAD do IFRR Amajari fazem visita técnica à sede do campus

por Rebeca publicado 19/12/2019 12h20, última modificação 19/12/2019 12h20
Resultado de um esforço conjunto do CAM, por meio do Núcleo de Educação a Distância (Nead) e da Diretoria de Políticas de Educação a Distância (Dipead) do IFRR, a visita tem objetivo de oferecer oportunidade de os estudantes conhecerem a rotina do campus e as diferentes unidades de produção (animal e vegetal), além de socializarem conhecimentos adquiridos ao longo do curso e trocarem experiências.

Estudantes do curso subsequente Técnico em Agropecuária na modalidade de Educação a Distância oferecido pelo Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima participam, até esta quinta-feira, 19, de visita técnica à sede do campus. São alunos dos polos do Amajari, de Normandia, do Uiramutã, da Raposa e do Araçá da Serra (Normandia), do Truaru da Cabeceira (área rural de Boa Vista) e do Taiano (Alto Alegre).

Resultado de um esforço conjunto do CAM, por meio do Núcleo de Educação a Distância (Nead) e da Diretoria de Políticas de Educação a Distância (Dipead) do IFRR, a visita tem objetivo de oferecer oportunidade de os estudantes conhecerem a rotina do campus e as diferentes unidades de produção (animal e vegetal), além de socializarem conhecimentos adquiridos ao longo do curso e trocarem experiências.

O curso, com duração de um ano e meio, se iniciou em agosto de 2018. As turmas dos sete polos encerram as atividades neste mês de dezembro e devem formar-se em março de 2020. Devido ao esforço conjunto dos gestores do Campus Amajari e da Reitoria, foi possível articular a visita dos estudantes dos sete polos.

De acordo com a coordenadora do Nead/CAM, Edivânia Santana, desde o início do curso sempre houve a intenção de levar os estudantes para conhecerem a infraestrutura da sede, porém, com o contingenciamento, foi dado prioridade à execução das aulas. “Este ano, a partir de um esforço institucional do campus e da Dipead, foi possível o planejamento e a execução dessa atividade”, explicou.

Conforme Edivânia, a visita é uma consolidação dos conhecimentos adquiridos no decorrer do curso, bem como uma oportunidade de os alunos dos sete polos socializarem entre si e trocarem experiência. “Em cada polo, pudemos observar que tem uma peculiaridade e algo positivo foi gerado a partir do curso. Esse momento [visita] de integração visa à troca de experiência, de forma, que além da consolidação dos conhecimentos, eles possam também estar aplicando os conhecimentos adquiridos aqui no campus em suas localidades”, afirmou.

De acordo com diretora da Dipead, Betânia Grisi, é motivador ver os esforços individuais que os alunos fizeram para participar desse momento, que é uma oportunidade de conhecerem a realidade do campus que sedia as atividades e do qual fazem parte e de se integrarem com outros estudantes. “Renova meu ânimo na perspectiva de buscar mais melhorias na execução dos cursos nessa modalidade. Enquanto profissional da educação, fico feliz com a motivação deles em saírem de suas rotinas para adquirir e compartilhar suas experiências”, frisou.

 

 

Ascom/Reitoria
Rebeca Lopes
Fotos: Divulgação
19/12/19
 

CGP